segunda-feira, fevereiro 26, 2007

domingo, fevereiro 25, 2007

Resultados do Concurso de Acordeão de Castelo Branco

Categoria A
1º prémio - Pedro Soares
3º prémio - Beatriz Martins
4º lugar - Joana Formigo

Categoria B
2º prémio - João Tomás
3º prémio - Gonçalo Fouto

Categoria D
1º prémio - André Teixeira
2º prémio - José Valente

Categoria E
1º prémio - Carisa Marcelino
3º prémio - Rui Barata
4º lugar - Liliana Rodrigues

Categoria F
1º prémio - (des) Concertante Trio
2º prémio - Flubayan (duo flauta transversal e acordeão)
3º prémio - Duo piano e acordeão

sábado, fevereiro 24, 2007

Gonçalo Pescada na Santa Casa de Misericórdia


O teatro Váatão na quinta-feira


Pedro Santos e Paulo Jorge Ferreira


Depois do concerto no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco, um momento para recordar durante muito tempo. Nesta foto, em conversa com a directora e o sub-director do Estabelecimento.

Gonçalo Pescada na Pediatria do Hospital Amato Lusitano


O Trio Desconcertante na Sala da Nora

Vladimir Chernukh no Governo Civil


2º dia

O segundo dia do FOLEFEST 2007 foi emocionante. Começámos na Pediatria do Hospital Amato Lusitano, estivemos na Universidade Sénior, no Lar da Santa Casa da Misericórdia e no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco, antes de inaugurarmos a exposição "Os Mundos do Acordeão", na qual foi lançada uma edição da ESART (obra de Sérgio Azevedo) e de um concerto pelo Desconcertante Trio.
O dia terminou com um extarordinário concerto por Vladimir Chernukh, num Governo Civil cheio.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

1º dia do FOLEFEST

Será já amanhã, quinta-feira.
Cerca de 500 crianças passarão pelo Cine-Teatro Avenida, para assitirem ao espectáculo "A Porta", de José Fanha, pelo grupo de teatro Váatão.
Mais tarde, às 21h30, João Frade vai apresentar-se pela segunda vez em Castelo Branco, no Cine-Teatro Avenida.

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

FOLEFEST DE 2008 JÁ TEM DATAS

21, 22 e 23 de Fevereiro serão as datas do FOLEFEST em 2008. Confirmado já temos o vencedor da Coupe Mondiale (sénior) de 2007, que resultará da competição que se realiza em Washington DC, em Agosto próximo. Mais detalhes aqui.
Estamos a trabalhar com o grupo de teatro Váatão, para a criação de uma produção que gire em torno do Acordeão, já convidámos três fotógrafos para continuar a série "Os Mundos do Acordeão" e há mais novidades "na calha".

O Fole está mesmo para ficar!

JÚRI DO FOLEFEST 2007

Gonçalo Pescada (acordeão)
José António Sousa (acordeão)
Paulo Jorge Ferreira (acordeão)
Pedro Santos (acordeão)
Guenrikh Elessine (violoncelo)
Luís Gomes (clarinete)
Maria Helena Nunes (piano)
Vasco Gouveia (flauta transversal)

domingo, fevereiro 18, 2007

Duo Damian

Dia 23

11h30, Concerto no Cine-Teatro Avenida, para a USALBI
15h, Concerto no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco

Pedro Santos é membro do júri do Concurso
Paulo Jorge Ferreira é membro do júri e Coordenador Artístico do FOLEFEST







Pedro Miguel Santos, natural de Almada, iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos no Instituto Musical Matono, com o professor Joaquim Raposo, sendo mais tarde aluno do prof. Vitorino Matono, com quem concluiu o Curso Complementar de Acordeão.
Em 1985 obteve o 1º prémio no Troféu Ibérico de Acordeão, na categoria de Concertistas Juniores. Em 1989 foi vencedor do 1º Troféu Nacional de Concertistas de Acordeão na Categoria Sénior. Em 1992 foi convidado pela Orquestra Nacional do Porto, para participar no concerto do tenor Luciano Pavarotti. Colaborou, também, com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Solistas de Lisboa e, mais recentemente, como solista na Orquestra de Arcos Sinfonietta de Lisboa. Forma, com Paulo Jorge Ferreira, o Duo Damian que tem actuado por todo o país e no estrangeiro, nomeadamente em Itália e França.
É membro fundador do Quinteto Lusotango.
Colaborou com os grupos Teatro da Cornucópia, O Bando, Novo Grupo, com a cantora Dulce Pontes, com o músico canadiano Bem Charest, com o compositor Eugénio Rodrigues, entre muitos outros.
É professor na Academia de Música José Atalaya (Fafe).

Paulo Jorge Ferreira nasceu em Lisboa, em 1966. Iniciou os estudos musicais aos cinco anos com o professor José António Sousa. O estudo profundo dedicado ao acordeão, com o seu credenciado professor, proporcionou-lhe várias participações em concursos nacionais e internacionais, obtendo honrosas classificações. Concluiu o curso de acordeão no Instituto Musical Matono. Ao longo da sua aprendizagem musical, frequentou seminários dirigidos por alguns dos mais prestigiados acordeonistas contemporâneos.
Tem realizado recitais tanto a nível nacional como internacional, nomeadamente em França, México, Bélgica, Áustria, Itália, Macau, Espanha e Hungria, e concertos de música de câmara, actuando com músicos conceituados como a pianista Maria João Pires e o Maestro António Victorino d’Almeida.
Apresentou-se como músico convidado de orquestras sinfónicas e de câmara, tais como, Orquestra de Pequim, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Nacional do Porto, Remix Ensemble, trabalhando com maestros de reconhecida qualidade internacional.
Constitui com Pedro Santos um duo de acordeões (Duo Damian), com Pedro Vasconcelos um duo de acordeão e piano (Ars Duo) e com Carlos Alves um duo de acordeão e clarinete.
Simultâneamente tem desenvolvido também a sua actividade como compositor, escrevendo obras para instrumentos solo, música de câmara e orquestra.
Faz parte do júri, no concurso internacional de acordeão “Coupe Mondiale”.
É professor na Escola Superior de Artes Aplicadas em Castelo Branco, no Conservatório Regional de Castelo Branco, no Conservatório D. Dinis em Odivelas e na Escola de Música do Conservatório Nacional.
Foi editado, em 2004, um CD seu a solo.

Gonçalo Pescada

Dia 23
10 horas, Hospital Amato Lusitano
14 horas, Lar da Santa Casa da Misericórdia

Membro do Júri do Concurso

Gonçalo Pescada iniciou os seus estudos musicais no Algarve, que posteriormente prosseguiu no Instituto Musical Matono (Lisboa) com o Professor José António Sousa e na Escola Superior de Artes Aplicadas (Castelo Branco) com o Professor Paulo Jorge Ferreira, onde concluiu a Licenciatura em 2004 recebendo uma distinção de mérito (melhor aluno) pelo seu elevado desempenho escolar.
No ano lectivo 2004/2005 frequentou estudos de Pós-graduação em França (CNIMA), sob a orientação pedagógica de Jacques Mornet. Participou em Cursos de Aperfeiçoamento Instrumental dirigidos por professores de renome internacional como Peter Soave, V. Semyonov, Friedrich Lips e V. Zubitsky.
Realizou, até à presente data, em vários pontos do País, bem como no estrangeiro, diversos recitais de Acordeão a solo e inúmeros concertos nas diversas formações de música de câmara que tem integrado. Apresentou-se como solista com a Orquestra do Algarve e colaborou com os Maestros João Tiago Santos e Osvaldo Ferreira.
Entre outros, obteve o 1º Prémio no Concurso Nacional de Acordeão (Alcobaça, 1995), 3º Prémio no Concurso Revelação Jovens Músicos (Porto, 2004), o 1º Prémio no Concurso Internacional “Citá di Montese” (Itália, 2004) e o 1º Prémio no Concurso de Interpretação do Estoril (2006).
Gravou em 2002 o CD a solo “Intuição”, com um repertório de música clássica, jazz e world music. A crítica aponta-o como «uma das grandes certezas da escola acordeonística nacional» (Diário de Notícias, 14 de Setembro de 2002).

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

O Acordeão - texto de António Salvado

Com um teclado de melódica limpidez e com botões que desabrocham em acordes e em sons graves, corporalizando cadências ora alegres de regozijo ora magoadas de dramatismo, o acordeão define-se talvez como o instrumento da única sonoridade capaz de harmonizar o caos. E é como um sangue matizado de vibrantes cores que corre, calmo ou tumultuoso, pelas veias da amenidade ou da inquietação. E daí o seu tão peculiar encanto: eufónico companheiro, anima com luminosas branduras a claridade do dia ou cinzela com profundas angústias o negror da noite. Na alguma humildade do seu relativamente recente nascimento, com uma simples escala diatónica no início, o acordeão soube engrandecer-se no fluir do tempo, moldando-se em originais e contínuas capacidades expressivas e em repertórios diversificados, fecundos e amplos. Universalizado, constitui certamente o instrumento que melhor conseguiu conciliar o tradicional e o individual, o popular e o erudito, tornando-se enfim paradigma da realidade que nos afirma que a arte, como expressão humana, é tão somente uma.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

João Frade Trio a abrir!!!!

João Frade nasceu no dia 11 de Abril de 1983, reside na Branqueira, concelho de Albufeira de onde é natural. Frequentou a escola de música E.T.A.C. a cargo do professor e seu grande amigo Hermenegildo Guerreiro , desde os 8 anos de idade.
Entre os inúmeros concursos que venceu em Portugal , destacam-se :
1º Prémio (classe A) no 2º concurso da Feira popular de Lisboa em 1995.
Em Março de 1997 venceu o concurso nacional do corridinho em Setúbal e em Julho desse mesmo ano foi campeão Ibérico na categoria de varieté, o que o levou a representar Portugal no Troféu Mundial realizado em Andorra.
Posteriormente, ainda em 97, alcançou o 1º prémio do concurso de acordeão do Alto Minho em Viana do Castelo.
Já em 1998 , venceu em Março o concurso de acordeão de Santiago da Guarda, no Pombal, em Agosto foi distinguido com o prémio Terras de Loulé.
Em 1999 ganhou novamente o concurso de acordeão de Santiago da Guarda no Pombal, em Março, vencendo em Abril o concurso da Pedra Mourinha em Portimão. Mais uma vez, alcança o 1º lugar no concurso de corridinhos Inéditos, em Novembro.
Em 2000 é vencedor do concurso de acordeão do Alto Minho, mais uma vez, em Viana do Castelo no mês de Outubro , e é ainda galardoado com o prémio Cegonha símbolo da cidade de Faro.
No ano de 2001, começou por ganhar, em Março, o Festival de Artes Infantil e Juvenil de Albufeira, e em Abril, o VII Troféu Nacional de acordeão em Alcobaça. No ano de 2002 sagra-se Campeão do Mundo, ao vencer o Troféu Mundial de Acordeão realizado em Bélluno (Itália).Poucos dias depois vence o concurso Internacional de Castelfidardo (Itália) e em seguida destaca-se novamente ao obter, o primeiro lugar na Copa do Mundo que teve lugar em Copenhaga (Dinamarca), conseguindo assim uma proeza nunca antes conseguida pois nunca ninguém tinha vencido estes concursos todos no mesmo ano . Obteve ainda o primeiro prémio no concurso de acordeão realizado na cidade francesa de TEIL em novembro de 2002 . Já em 2003 foi galardoado com o primus-inter-pares organizado pela revista algarve-magazine na categoria de personalidade revelação , e já em 2004 foi-lhe atríbuida a medalha !de mérito (grau ouro) , pela câmara municipal de Albufeira , o que significa o elevado reconhecimento pelo trabalho desenvolvido até aqui....
Participou também em vários programas Televisivos , entre os quais "HermanSic" , "Praça da Alegria" , "Domingo é Domingo" , "Portugal no coração" , "chanter la vie" no canal Francês , France2 , só para citar alguns.
Trabalhou com muitos músicos e tocou igualmente com muitos outros por todo o País e estrangeiro em galas , concertos , festivais de jazz e etc... , como por exemplo : Eugénia Lima , Nicolas Massoutié , Aurélian noel , o grande Fadista Fernando Maurício , Jean-louis Noton , Isabel Câmpelo , Edú miranda , Didier Labbé , Flora purim e Airto Moreira , Paulinho lemos , didier labbe , Adiafa , etc... .
Actualmente apresenta o projecto em Trio com o seu amigo guitarrista Tuniko Goulart , e com o multi-instrumentista Giovani Goulart , este projecto em construção junta diversas influências como a MPB , música Portuguesa , world music e o Jazz , e tem alcançado um êxito enorme estando neste momento a ser preparado um Primeiro Cd , para além deste Projecto João Frade tem ainda o projecto em Duo de nome “NOITESODEON” com o seu colega e amigo Ricardo Alves , participa no projecto do cantor Nuno Montalto , no ensemble da cantora de jazz Maria Anadon , e como não podia deixar de ser o projecto a solo.

CASTELO BRANCO - CIDADE ACORDEÃO

Ao longo dos últimos quinze anos, o acordeão ressurgiu, nesta região da Beira Interior, devolvendo à comunidade um pouco do seu imaginário intimamente ligado às festividades populares e à música tradicional. Pelo menos aparentemente, o impasse ou fase de declínio no qual se encontrava tinha sobretudo a ver com as limitações técnicas dos executantes e com pouca atractibilidade do instrumento para as camadas jovens.

Este ressurgimento está, em grande medida, relacionado com o facto de o Conservatório Regional de Castelo Branco ter iniciado a oferta de um curso oficial do instrumento que foi, desde o início, muito procurado. A presença habitual do acordeão em audições, concertos e outras apresentações aumentou consideravelmente a visibilidade do instrumento e qualificando cada vez mais os jovens alunos que rapidamente começaram a participar em intercâmbios, competições, cursos. A presença regular na comunicação social regional, a propósito das actividades promovidas ou de alunos laureados em competições ajudou a colocar o instrumento na agenda quer através da procura de formação, quer procurando assistir a eventos nos quais o acordeão marcasse presença.

Um segundo factor importantíssimo neste quadro estava para entrar na história recente: a Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, através dos seus cursos da área de música, criou, à época, a única oferta ao nível da licenciatura para este instrumento disponível em Portugal. Este elemento de valorização e qualificação originou um ainda maior enfoque neste instrumento e na sua associação com a cidade e região.

Consequentemente, não é por acaso que a Confederação Internacional de Acordeão aceita a candidatura de Castelo Branco para organizar a Coupe Mondiale em 2005. Um conjunto de circunstâncias concorreram para que a cidade pudesse assistir a este magnífico evento. Falamos de factores relacionados com as acessibilidades, oferta hoteleira, infra-estruturas ao nível das salas de espectáculo e um enquadramento educativo excepcional no plano nacional.

O acordeão relaciona-se assim com a cidade de uma forma muito dinâmica, afirmando-se como parte da sua imagem projectada para o exterior e cativando os locais.

PROGRAMA - FOLEFEST 2007




DIA 22 – QUINTA-FEIRA

10 horas – Cine-Teatro Avenida
Grupo de Teatro Váatão – A Porta, de José Fanha – Peça de teatro para pré-escolar e 1º Ciclo
Entrada Gratuita

15 horas – Cine-Teatro Avenida
Grupo de Teatro Váatão – A Porta, de José Fanha - Peça de teatro para pré-escolar e 1º Ciclo Entrada Gratuita
Entrada Gratuita

21h30 – Cine-Teatro Avenida
João Frade Trio com convidado (acordeão, percussão e guitarra)
Bilhetes: 5 € - preço único


DIA 23 – SEXTA-FEIRA

Concertos InFole – o acordeão em contexto único
Estabelecimento Prisional de Castelo Branco
Lar da Santa Casa de Misericórdia de C. B.
Hospital Amato Lusitano
Universidade Sénior (USALBI)


18 horas – Sala da Nora - Cine-Teatro Avenida
Inauguração da Exposição de Fotografia “Os Mundos do Acordeão”
Lançamento de partitura de Sérgio Azevedo – edição da ESART
Concerto pelo Desconcertante Trio
Entrada Gratuita – limitada pela lotação da sala
Recomenda-se a reserva através do telefone 272344405 ou do
email folefest@gmail.com


21h30 – Governo Civil de Castelo Branco
Vladimir Chernukh (acordeão)
Venceu a categoria principal da Coupe Mondiale 2006, que se realizou na Noruega, em Outubro passado. É a primeira vez que actua em Portugal e é aluno do famoso V. Semionov.
Bilhetes: 5 € - preço único


DIA 24 - SÁBADO

Concurso de Acordeão de Castelo Branco – 1ª edição
O Concurso terá lugar no Governo Civil de Castelo Branco e terá início pelas 10h00. Seis categorias em competição.

21h30 – Governo Civil de Castelo Branco
Concerto pelos vencedores de cada categoria
Entrada Gratuita